30.9.10

saudades de nyc

video
a autoria do vídeo é minha, o génio é dos próprios

29.9.10

i'm a cat person

está na hora de meter nojo

estou para aqui a filosofar em vez de ir dormir, apesar de estar estourada, porque estou à espera que a primeira camada do gelado de leite condensado esteja congelada para lhe deitar por cima a bolacha maria e a segunda camada de gelado. isto porque lá no novo tasco a malta tem a mania de fazer banquetes em vez de ceias nas noites.
e apesar disso ainda não engordei nada. nem um quilo. pronto, já meti nojo.

28.9.10

os meus amigos são os melhores do mundo #4

disseram-me um dia que os amigos de todos os dias são sobrevalorizados, importantes são os amigos de certos dias mas que se mantêm.
e podem não fazer o peito rebentar de felicidade, mas dão um calorzinho que não há manta nem chá que substitua.

live and learn

sei que a coerência nunca foi uma das qualidades dele, mas feita tolinha continuava a acreditar no que ele me disse quando começámos a namorar: que não era pessoa de se apaixonar muito e que, independentemente de as coisas entre nós resultarem ou não, ia gostar de mim durante muito, muito tempo.
passaram dois meses - dois meses. eu ainda ando a lamber as feridas. ele, segundo dados recentes indicam, está com outra pessoa.

o melhor dia para casar

diz quem sabe que é o 31 de julho. definitivamente não é o melhor dia para acabar um namoro. porque depois de um agosto de luto vêm as primeiras noites frias sem uns pés quentinhos para me aquecerem e as tardes de domingo sem companhia no sofá. it kinda sucks.

e um casaquinho, não?

ai o caracinhas que estão 9 graus e eu saí de casa de t-shirt e casaco de malha...

27.9.10

das saudades

tenho saudades de me sentir tão feliz que parecia que o peito ia rebentar. parecendo que não, é uma sensação à qual uma pessoa se habitua com alguma facilidade.

pelo menos já anseio por alguma coisa

doze horas de trabalho por dia é bom, enquanto estou a pensar nisso não penso noutras coisas. quando não estou a trabalhar estou a ler blogues ou a ver séries ou na zara ou mango online ou nas lojas propriamente ditas. a gastar o dinheiro que tinha dito que ia poupar quando acabasse a pós-graduação - a bem da verdade, não tenho gasto assim tanto; limito-me a passear-me pelas lojas e a ver coisas que gosto mas que não compro porque sei que não iam dar-me uma satisfação mais do que passageira.
e anseio pelo momento em que vou deixar de viver em piloto automático.

26.9.10

um dia bom acabou de melhorar

cruzei-me com o nosso mister.

não, a sério

o que uma tarde de domingo livre e uma enorme teimosia fazem por um template...
cromos do google reader, percam 2 segundos a apreciar a minha obra de arte POR FAVOR!

vintage gold





















porque às vezes vale a pena pedinchar...

o que é nacional é bom


Albano Jerónimo

Gonçalo Waddington





















e estes dois, como diria a outra, comia-os barrados com tulicreme.


help!!

alguém sabe como é que posso fazer a imagem do cabeçalho ficar da largura do texto?

ando aqui às voltas com o template do blog

se de repente vos parecer que entraram no blog errado, perdão. é que eu sou mesmo naba nestas coisas. e vamos lá a ver se eu consigo guardar o template original no pc...

24.9.10

tudo por mais 5 minutos na cama

hoje quando saí de casa ainda tinha as marcas da almofada na cara.

21.9.10

turning a house into a home


we'll always have paris

a viagem é só uma hipótese, e bem longínqua no tempo... mas vou começando a pensar em tudo o que quero fazer - comer du fromage avec la baguette, beber le champagne, comprar les cadeaux de noel...
uma pessoa tem de se entreter com alguma coisa, e como já papei as 6 temporadas do "Sexo e a Cidade" num tempo recorde de quê?, duas semanas?, há que partir para novos objectivos.

20.9.10

(not so) holi-days

revejo as fotografias da viagem aos açores e só me vejo deitada na toalha com o coração partido em mil pedacinhos. não a desejar morrer mas simplesmente a desejar deixar de existir.
e os meus amigos, os tais que são os melhores do mundo, foram a única companhia suportável. sei que não aproveitei a viagem tanto quanto podia. mas sei também que a alternativa teria sido bem mais insuportável.
e ficaram algumas boas memórias...












photos by P.O.

carrie knows it best

"the fact is, sometimes it's hard to walk in a single woman's shoes. that's why we need really special ones now and then, to make the walk a little more fun."
Sex and the City (Season 6, Episode 9)

há coisas que não se pedem...

... não se cobram e nem sempre se merecem.
a amizade é uma delas.

19.9.10

acho que descobri o meu novo blog favorito

"BONITO BONITO
Nem são as canções do To Zé Brito. Bonito bonito é saberes que aquele será sempre o grande amor da tua vida, que ninguém te fará ter "aquela" vontade de te colares a ele  só  para não perderes um suspiro seu e mesmo assim virares costa por não te contentares com menos do que o mesmo de volta. É digno."
by Margarida em sem filtro

falemos de gramática

o p. dizia ontem que ele é o meu pretérito imperfeito: "é pretérito e é imperfeito".

18.9.10

rescaldo da noite de ontem

o meu estado de espírito variou entre o terror de ver as primeiras rugas de expressão nas fotografias e a agradável surpresa de ver a admiração com que as minhas primas de 17-18 anos observavam as primas mais velhas, giras, solteiras e de bem com a vida - só comparável à admiração que eu sentia pela minha prima mais velha quando tinha a idade delas.

16.9.10

a sabedoria dos 90

em conversa com a minha avó:
- está mais magrinha!
- pois é, avó.. agora tenho de ficar magrinha, para arranjar namorado.
- ó menina, que disparate! tem muito tempo.. o que tiver de ser seu à sua mão irá parar.

esta sou eu

já o tinha dito antes..

"se é verdade que as redes sociais aproximaram as pessoas, o contrário também se aplica, hoje em dia é muito difícil esquecer alguém tendo à disposição todo o seu historial de vida depois de nós. A merda do Facebook então, lixou tudo, já nem falo dos blogues que nesses escrevemos o que quisermos e cada vez menos escrevemos o que sentimos, é muito fácil estar num presidio de esfregona na mão e escrever que sim, a vida na minha casa em frente ao mar é a melhor da urbanização, assim não vale. Falo do resto, de todo o resto onde, à distancia de um clique, conseguimos ver sorrisos e companhias, viagens e estados de espírito, e num misto de "não quero ver" e "deixa só ver como é que é a vida sem mim" lá andamos num prazer masoquista que não faz bem nenhum mas que é tão fácil de alcançar, que nos faz sofrer um pouco mais.
Antigamente, se bem me lembro, acabar era acabou. O ponto final era decidido por nós e pelo telefone fixo que pedíamos aos pais para controlar, "se ele ligar, eu não estou" e pouco mais. Ok, não frequentávamos os mesmos cafés de outrora e os amigos sentiam-se num incómodo habitual de quem não quer tomar partido mas pouco mais, pouco pouco mais. Hoje, a juntar à facilidade em ver a vida alheia, vem o prazer dorido de saber do outro, porque fazendo parte do nosso passado, faz parte de nós e somos nós, eles são nós e fizeram o que somos e a merda é que, a um clique, sabemos que continuaram com a vidinha deles, milhares de amigos, brilho ofuscante de sorrisos com monumentos mundiais como pano de fundo enquanto andamos ali, sem acompanhar o mudar dos tempos, sessenta e tal gatos pintados, uma foto de perfil que é a mesma de há dois anos e a pensar que as redes sociais não trouxeram só coisas boas e o ser humano gosta de sofrer, especialmente quando o sofrimento está ao alcance de um clique. Hoje vi-te e li-te. hoje chorei mais um pouco."
 
by Margarida em sem filtro

14.9.10

elvis, the full grown cat

então não é que o pequeno selvagem, depois de morar sozinho durante 3 meses (não vamos falar disso, ok?) e de passar umas férias na aldeia (chique, não é?) voltou outro?
uma paz de alma, não mia à noite, não espalha o lixo pela cozinha, não destrói (ainda mais) o sofá...
é um milagre!!
tirando a nova mania de dormir dentro da máquina de lavar roupa...

13.9.10

perfeitamente verosímil #2

o diogo morgado saca de um anel de diamantes no meio da rua no rio de janeiro e não é morto a tiro.

perfeitamente verosímil

estou a ver a nova novela da sic pelo canto do olho enquanto como massa chinesa e passeio pela blogosfera.
aparentemente o diogo morgado tem internet wireless no meio da amazónia.
as telenovelas portuguesas estão cada vez melhores.

será uma verdade universal?

nos últimos tempos tenho lido blogs sem parar, muito mais do que parado para escrever.
mas leio mais do mesmo. sobretudo histórias de separações e desgostos de amor, e de pessoas que não só sobreviveram a isso como voltaram a apaixonar-se, coisa que sinto que nunca mais me vai acontecer - embora racionalmente saiba que isso é uma improbabilidade.
e tropecei neste blog. já o tinha encontrado há uns tempos e tinha achado graça ao facto de ela ser açoriana, já que tinha uma viagem marcada para são miguel.
e resolvi ir ao baú, ler os inícios da história de amor improvável que ela contava.
e embora sejamos muito diferentes e tenhamos histórias completamente diferentes, houve parecenças entre nós que me assustaram! frases que pareciam retiradas da minha cabeça, posts tão parecidos com posts que eu já tinha escrito (mas mais antigos ainda!), músicas que eram minhas também...
arctic monkeys?? seriously?
neni, qualquer semelhança é pura coincidência, ok? mas ajudaste-me muito...

11.9.10

pretty in pink

8.9.10

e nessa altura não havia facebook

"after a break up, certain streets, locations, even times of the day are off limits. the city becomes a deserted battlefield, loaded with emotional landmines. you have to be very careful where you step or you could be blown to pieces."
Sex and the City (Season 2, Episode 1)

a fossa é uma cena fixe

depois de muitas lágrimas, começo a levantar-me devagarinho.
ainda ando triste. mas a verdade é que há horas do dia em que nem sequer tal coisa me ocorre -  o trabalho novo também tem ajudado. já ouço as músicas da neura com um meio sorriso. já dou tanga a mim própria. já me aproveito da minha situação de "deprimida" para não levar com secas em cima - mas se alguém repetir isto nego com todas as minhas forças. adoro a minha mais recente magreza, 51kg é um número que há muito não figurava na minha balança.
e, mais importante que tudo isso, continuo a ter a certeza de que esta era a única decisão que podia ter tomado sem comprometer tudo aquilo que sou.
de modos que, prontos, i'm back. sort of.

what doesn't kill you, makes you stronger

If, I expected love, when first we kissed, blame it on my youth
If only just for you, I did exist, blame it on my youth
I believed in everything
Like a child of three
You meant more than anything
You meant all the world to me

If, you were on my mind, all night and day, blame it on my youth
If, I forgot to eat, and sleep and pray, blame it on my youth
If I cried a little bit, when first I learned the truth
Don't blame it on my heart, blame it on my youth


Keith Jarrett Trio - Blame it on my youth (Live in Tokyo - 1986)

3.9.10

linhas cruzadas

ainda não estou propriamente na fase em que tudo o que vivi com ele se torna numa neblina cor de rosa de sensações agradáveis (sim, isso acontece-me) mas recordo com alguma nostalgia alguns momentos que tivemos antes de começar a namorar.
comprámos este cd juntos e esta música parecia escrita para retratar o que me passava pela cabeça nessa altura...

Reajo a esse incomodo olhar
Nem quero acreditar
Que vem na minha direção
Há dias que estou a reparar
Nem queres disfarçar
Roubas a minha atenção
Aprecio o teu dom de tornar
Num clique o meu falar
Numa total confusão
Confesso que só de imaginar
Que te vou encontrar
Me sobe à boca o coração

E falas de ti
E Falas do tempo
Prolongas o momento
De um simples cumprimentar
Falas do dia
Falas da noite
Nem sei que responda
Perdido no teu olhar

É certo que sempre ouvi dizer
Que do querer ao fazer
Vai um enorme esticão
Mas haverá quem possa negar
Que querer é poder
E o nunca é uma invenção
Bem sei que este nosso cruzar
Pode até nem passar
De um capricho sem valor
Mas porque raio hei de evitar
Se esse teu ar
Me trouxe ao sangue calor

Linhas Cruzadas - Virgem Suta

1.9.10

1º dia no trabalho novo

o deboche do vestiário misto foi trocado pela convivência diária com anestesistas giros.
so far, so good.